Histórico do LNCC

Em seus primeiros vinte anos de existência (1980-2000) o LNCC se consolidou como instituição líder em Computação Científica e Modelagem Computacional no País, atuando como unidade de pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico do MCT e como órgão governamental provedor de infra-estrutura computacional de alto desempenho para a comunidade científica e tecnológica nacional. Isto aconteceu como resultado de sua proposta pioneira dentro do quadro das ciências matemáticas e computacionais de então e da qualidade que sempre imprimiu às suas atividades de pesquisa e prestação de serviços.

Dentre as suas iniciativas destacam-se:

- a promoção institucional da computação científica-modelagem computacional no País, com a conseqüente formação de uma comunidade científico-profissional no setor, fundação de sociedade científica, criação de departamentos e cursos em Universidades, criação de periódicos científicos, formação de recursos humanos qualificados e contribuição para a produção científica da área;

- o pioneirismo na implantação em conjunto com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP, de redes de comunicação de dados no País (BITNET e RNP);

- a participação na formação do Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho – SINAPAD, tornando-se o Centro Nacional de Processamento de Alto Desempenho do Estado do Rio de Janeiro – CENAPAD-RJ

- a difusão e transferência de tecnologia através de projetos de desenvolvimento e aplicações com empresas tais como: Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN, VALE DO RIO DOCE, PETROBRAS, COPESP, ELETRONORTE e muitas outras, servindo de pioneiro exemplo da interação universidade-empresa, na área de ciências matemáticas e computacionais.


A partir do momento em que o MCT passa a formular e desenvolver ações de planejamento e financiamento para a atuação integrada do Sistema Nacional de C&T, através do Plano Plurianual – PPA 2000-2003, do novo modelo de financiamento representado pelos Fundos Setoriais, dos Fundos Verde e Amarelo, das Comissões de Prospecção e Avaliação dos Institutos discutindo e atribuindo missões aos mesmos, uma nova realidade se apresenta para o planejamento e administração das instituições de pesquisa.

De acordo com esta nova realidade o LNCC se posiciona e passa a desenvolver esforços e ações institucionais para se adequar aos novos paradigmas e políticas científicas priorizadas.

Isto ocorre através de um processo continuado de planejamento estratégico situacional, com ampla participação da sua comunidade científica e técnica, e as conseqüentes ações operacionais de sua Diretoria, assessorada por representativos Comitês Internos e por seu Conselho Técnico Científico – CTC, com expressiva participação da comunidade externa.

Dentro deste quadro e tendo por balizamento os programas estruturantes do MCT no PPA, bem como a capacitação existente no Laboratório, as seguintes ações foram realizadas, no período 1999-2003, todas elas dentro do escopo da tradicional atuação do LNCC (P&D, Serviços Computacionais de Alto Desempenho, Formação de Recursos Humanos):

a) consolidação das principais atividades básicas de pesquisa de seus pesquisadores, grupos e correspondentes parceiros externos em dois grandes projetos:(i) Modelagem, Análise e Simulação Computacional em Engenharia e Ciências Aplicadas e (ii) Controle de Sistemas Dinâmicos; com a aprovação e contratação destes projetos pelo Programa de Núcleos de Excelência – PRONEX do MCT o custeio da pesquisa teve incremento significativo, revelando-se num também significativo aumento da produção científica;

b) modernização do CENAPAD-RJ – que teve o apoio financeiro do programa PAD da FINEP para a aquisição de novas plataformas de alto desempenho para o pleno e satisfatório atendimento das demandas colocadas pelas instituições usuárias tradicionais e dos novos projetos e parcerias;

c) criação do Laboratório de Bioinformática – servindo inicialmente como laboratório central articulador dos projetos Genoma Nacional – BRGEN e Genoma-Rio de Janeiro, com financiamento do CNPq e FAPERJ, respectivamente, e com pesquisadores e técnicos, na sua maioria, do Programa de Capacitação Institucional – PCI do MCT; hoje esse Laboratório coordena importantes projetos nacionais e parcerias internacionais;

d) implantação de programa de pós-graduação em Modelagem Computacional, que enfatiza a modelagem em áreas interdisciplinares como biosistemas, bioinformática, biologia computacional, atmosfera e oceanos, meio ambiente, ciência multiescala, e apoiado nas áreas de competência do LNCC como mecânica de fluídos computacional, computação de alto desempenho, simulação de reservatórios de petróleo, otimização e análise não-linear de estruturas, controle de sistemas, análise numérica de equações diferenciais e análise de sensibilidade; aprovado pela CAPES e com apoio também do CNPq e da FAPERJ atende demandas estratégicas da comunidade de C&T Nacional;

e) consolidação da parceria com a RNP para o gerenciamento do ponto de presença da rede nacional no Rio de Janeiro e outros projetos;

f) participação nos níveis direção e execução no Projeto GEOMA – Geoprocessamento e Modelagem Ambiental na Amazônia, importante e estratégica iniciativa do MCT, através de seus institutos INPA, MPEG, Mamirauá, INPE, LNCC e IMPA, formando rede cooperativa de pesquisas;

g) apoio e parceria com instituições regionais e empresariais como Governo do Estado do Rio de Janeiro, Prefeitura de Petrópolis, FIRJAN, SEBRAE, Softex, na criação de instrumentos de inclusão social como incubação de empresas de base tecnológica, centros de alfabetização digital, cursos profissionalizantes em Tecnologia da Informação – TI, arranjos produtivos locais e outros;

h) criação do CATO (Centro de Modelagem da Atmosfera, Continente e Oceano), que passou a fazer a previsão numérica regional do tempo para os Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo; é cooperação entre o LNCC, o Sistema de Meteorologia do Estado do Rio de Janeiro – SIMERJ e o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos – CPTEC/INPE e usa plataforma do CENAPAD – RJ, constituindo-se também em laboratório para a pesquisa em modelagem da atmosfera e do oceano no LNCC.


O planejamento constante no PPA-2000-2003 consolidou linhas de atuação do LNCC e apontou pontos futuros que se mostraram presentes no Planejamento Estratégico realizado pelo MCT em 2004, com suas macrodiretrizes, oportunidades e desafios decorrentes. Importante naquele momento foi a confirmação do LNCC como instituição executora para o MCT da coordenação do SINAPAD, a rede nacional de centros de computação de alto desempenho localizados em sete Universidades e Institutos de Pesquisa no País.

Também importante para a Unidade foi a iniciativa, apoiada pelo MCT, de ir ao Congresso Nacional buscar apoio extra-orçamentário para atividades de P&D relacionadas ao uso da computação em vários campos da Medicina, desenvolvidas em parcerias com vários e importantes hospitais do País e hoje em pleno andamento.

O exercício prospectivo e a discussão estratégica realizados no decorrer de 2005 no LNCC, sob os auspícios da SCUP, abrem agora possibilidades de materialização pelo LNCC de prioridades, definidas à luz da política de C&T, que permitirão o seu desenvolvimento científico no melhor nível de qualidade e o cumprimento de suas responsabilidades com a sociedade brasileira.